Confira as principais tendências do e-commerce para 2022

O e-commerce ganhou impulso com a pandemia da COVID-19, pequenos, médios e grandes negócios que souberam trabalhar com o setor se beneficiaram.

2021 foi um ano que começou com o ápice da pandemia, o que fez com que, no primeiro semestre, as vendas por e-commerce ganhassem forças.

Já no segundo semestre, com a melhora da pandemia, vacinação e liberação das medidas restritivas, o que se esperava fosse que o comércio local voltasse à ativa. Porém, com a nova variante chegando, pelo visto não será tão cedo que as compras presenciais voltarão e, mesmo antes da descoberta, os usuários estavam preferindo comprar via on-line por diversas razões.

Diante desse cenário, descubra agora quais as principais tendências para o e-commerce em 2022.

Volume de vendas em 2022

Durante o primeiro semestre de 2021, no auge da pandemia, 72,2% das compras realizadas foram em e-commerce e demais formas de compras on-line.

Os números de vendas previstos para o e-commerce são animadores. De acordo com a pesquisa feita pela Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo, espera-se que 70% dos consumidores continuem comprando de forma on-line.

Portanto, as compras on-line estão longe de desaparecer.

Tendências

Omnichannel

O omnichannel consiste em uma estratégia de integração entre diferentes canais de vendas e comunicação a fim de facilitar a jornada de compra do cliente.

Mas como isso funciona na prática? Para isso, é necessário saber quais meios de comunicação o seu cliente em potencial acessa, como por exemplo o Instagram.

Ao acessar o Instagram da sua loja, o cliente fica com dúvida em algum produto e manda um “direct” perguntando, mas vocês não estavam on-line, ele tomou a iniciativa de entrar no site e conversar via chat.

Logo, como ele mandou mensagem no Instagram com a sua dúvida, e a empresa trabalha com omnichannel, não é necessário que o usuário repita novamente a dúvida, basta que ele diga que perguntou no Instagram da página e não obteve resposta e, por isso, foi ao chat.

Essa técnica dentro do omnichannel se chama atendimento centralizado. Além dela, outra que permite unir o Instagram ao site da loja é a gestão logística mais eficiente, o que permite que, caso o último produto for comprado em uma das plataformas (Instagram shopping, site ou app), apareça nas demais que ele está em falta no estoque.

Voice commerce

O Google tem priorizado as buscas por voz em seu mecanismo de buscas, logo, otimizar seu título e descrição dos produtos é uma ótima opção para se beneficiar dessa estratégia.

Agilidade na entrega

Grandes lojas como a Amazon e Shopee já investem nessa estratégia. Geralmente 3 a 4 dias úteis após o pagamento, o produto já foi entregue para o cliente, principalmente nas grandes metrópoles.

Por isso é importante investir em métodos de pagamento instantâneos como PIX, PicPay, AME, entre outras.

Sustentabilidade e responsabilidade social

A preocupação com o meio ambiente e o possível surgimento de novas doenças cresceram após 2020.

Logo, os consumidores estão exigindo que as marcas e comércios se comprometam com a causa social e ambiental, priorizando produtos livres de testes em animais, que não realizaram desmatamento ilegal, entre outras características importantes.

O consumo sustentável também está em voga, e uma empresa que se beneficiou disso é o iFood, que informa quais restaurantes adotam essa prática.

Atendimento automatizado

A automatização de processos é uma tendência em diversas áreas, até mesmo em escritórios e serviços mais simples. O uso de chatbots em e-commerce poupa tempo e recursos que podem ser destinados a outras áreas como o marketing.

Realidade Aumentada

Já imaginou sentir o cheiro de uma comida de algum restaurante via aplicativo? Essa pode ser uma realidade futura, pois já é possível experimentar alguns itens como óculos e acessórios em realidade aumentada.

E quais os nichos de mercado em alta?

Agora que já vimos quais as principais tendências para o e-commerce em 2022, confira quais os nichos de mercado em alta.

Transporte (foco em entregas e-commerce e distribuição)

Já que o e-commerce está em alta, consequentemente, o transporte entra em alta também. Afinal, a entrega deve ser ágil e sem atrasos.

Aplicativos de delivery e transporte como iFood e Uber também aproveitam dessa alta.

Pets

Quem não ama ter um animal de estimação em casa? Com o isolamento, a procura por adoção de pets aumentou.

Assim, cuidados de saúde, alimentação e acessórios para cães e gatos também ganharam impulso.

Lojas virtuais como Petz, PetLove, entre outras, se beneficiaram nesses dois últimos anos e prometem ganhar mais nos próximos.

Comidas e bebidas

Já que e-commerce e transporte de entregas estão em alta, a procura por comidas e bebidas também está aumentando.

A possibilidade de realizar compras em supermercados no conforto de casa e ter a entrega marcada cativou muitos brasileiros nesses dois anos e a tendência é que a procura por esse serviço aumente.

O mesmo vale para farmácias e saúde, com algumas farmácias como a rede Drogasil aderindo ao delivery.

Casa e móveis

Decoração e reformas em casa foram um dos principais hobbies dessa pandemia, por isso, o comércio de móveis está em alta.

Games

O setor promete aumentar cada vez mais seus ganhos, principalmente com novos computadores e celulares mais modernos surgindo.

Pensando em oferecer diferentes meios de pagamento no seu e-commerce? Acesse nosso site e descubra como podemos te ajudar!

Avaliar o conteúdo post