4 anos de Free Fire: veja recordes e os jogadores destaque do game

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Subscribe to our Newsletter and receive exclusive content!

Você com certeza já ouviu falar em Free Fire. Esse é um dos jogos mais populares da atualidade, muito disso sendo em função de sua acessibilidade. Disponível exclusivamente para celulares, ele disputa de igual para igual com nomes grandes como Fortnite e PUBG.

Aliás, Free Fire já quebrou uma série de recordes quando o assunto é número de jogadores e faturamento nas lojas de aplicativos. Ele é gratuito, tendo a sua renda vinda unicamente de compras opcionais de personagens e skins.

O gameplay de Free Fire é bastante simples, mas possibilita uma infinidade de jogadas. Até 50 jogadores caem em uma ilha e precisam sobreviver o máximo de tempo possível usando os equipamentos e itens que encontrarem por aí.

Toda essa emoção e jogabilidade acontece dentro da tela pequena do celular ou do tablet. Só que um dos principais diferenciais do Free Fire é ter recursos mínimos bem baixos para ser executado, algo que foi decisivo para sua popularidade.

Quer saber tudo sobre Free Fire? Então, fique de olho nas informações do post abaixo e aproveite!

O que é Free Fire?

Free Fire é um jogo estilo battle royale disponível exclusivamente para celulares e tablets Android e iOS. Ele é completamente online, colocando até 50 jogadores simultâneos em uma ilha para eliminarem um a um até que reste apenas o vencedor.

Ele foi desenvolvido pelo 111 Dots Studio, depois sendo publicado pela empresa Garena. O game foi lançado originalmente em 2017 e ganhando cada vez mais popularidade ao longo dos anos seguintes.

O grande diferencial do Free Fire é que ele é exclusivo para celulares sem muitos recursos gráficos. O game é oficialmente direcionado para quem tem dispositivos mid ou low-end, já que tem elementos visuais mais simples que não exigem tanto do processador nem da placa gráfica.

Plataformas disponíveis

O Free Fire está disponível para dispositivos móveis que rodem os sistemas Android e iOS. Isso vale tanto para celulares tipo smartphone como também tablets.

Utilizando um emulador de Android, é possível rodar Free Fire no PC.

Requerimentos mínimos

Para jogar Free Fire, o dispositivo móvel precisa atender a alguns requisitos mínimos além de rodar o sistema operacional suportado. Ou seja, não é todo celular ou tablet que suporta o game.

No Android, as especificações são estas:

  • Sistema Android 4.4 ou superior

  • CPU Dual Core 1,2 GHz

  • 1 GB de RAM

  • 1,5 GB de armazenamento disponível

No iOS, os requerimentos são estes:

  • Sistema iOS 9 ou superior

  • CPU acima ou igual ao do iPhone 5s

  • 1 GB de RAM

  • 1,5 GB de armazenamento disponível

Requerimentos recomendados

Além dos requerimentos mínimos, a Garena também divulga quais são os atributos para rodar o Free Fire com boa performance. Então, o jogador poderá aproveitar o game sem lentidão nem demais problemas.

No Android, a configuração recomendada é esta:

  • Sistema Android 7.0 ou superior

  • CPU Octa Core 1,8 GHz

  • 3 GB de RAM

  • Pelo menos 3 GB de armazenamento disponível

Já no iOS, os requerimentos recomendados são estes:

  • Sistema iOS 11 ou superior

  • CPU acima ou igual ao do iPhone 7

  • 3 GB de RAM

  • Pelo menos 3 GB de armazenamento disponível

Gameplay e recursos

O Garena Free Fire tem um gameplay estilo battle royale. Isso significa que ele é do mesmo gênero que outros grandes nomes do mundo dos games, como Fortnite e Playerunknown’s Battlegrounds.

No início de cada partida, os jogadores estão em um avião que sobrevoa uma ilha. A qualquer momento, eles podem optar por pular e começar a disputa.

Depois de aterrissarem, os jogadores precisam procurar por armas e itens úteis. O objetivo é sobreviver até o último momento, o que significa evitar os avanços dos oponentes que têm esse mesmo foco.

Além disso, ao longo do tempo, a área segura da ilha vai diminuindo. Isso faz com que os jogadores precisem ocupar um espaço cada vez mais concentrado, o que expõe a maioria dos oponentes.

A vitória fica com quem sobra ao final após todos os outros jogadores serem eliminados.

Recordes conquistados

Devido à sua grande popularidade em todo o mundo, Free Fire já quebrou diversos recordes em relação a número de usuários e downloads.

O primeiro deles foi em 2019, quando recebeu o título de jogo mais popular com base no voto do público na plataforma Google Play, do Android. Em novembro desse mesmo ano, o game faturou US$ 1 bilhão mundialmente.

Além disso, em maio de 2020, Free Fire conquistou o recorde de 80 milhões de usuários ativos diários em todo o mundo. Ele é, atualmente, o jogo battle royale mais popular dos celulares, deixando para trás o Fortnite e o PUBG Mobile.

Em 2021, o Free Fire já atingiu a marca de mais de 1 bilhão de downloads no Google Play.

Quais são os principais diferenciais do Free Fire?

Free Fire é um game que se tornou referência em um segmento já bem concorrido, que é o de battle royales. No entanto, alguns de seus diferenciais fizeram com que ele ganhasse cada vez mais a preferência do público apesar dessa ameaça de nomes maiores.

Um dos principais diferenciais do Free Fire é que ele roda em um grande número de dispositivos móveis. Quando consideramos concorrentes como Fortnite e PUBG Mobile, os requerimentos mínimos de sistema são bastante altos, o que geralmente exige aparelhos mais recentes.

Talvez por ser primariamente mobile, as partidas de Free Fire tendem a ser bem rápidas. Este é outro diferencial interessante do game, que é poder curti-lo em curtos espaços de tempo ao longo do dia. Afinal, cada jogada abriga apenas 50 jogadores, sem contar que o espaço da ilha é menor.

Por fim, também é necessário destacar que o Free Fire é o número de parcerias do game com brasileiros. Um exemplo é o DJ Alok, que virou personagem no jogo em 2018.

Como o Free Fire virou referência em inclusão digital?

Por ter requerimentos mínimos tão baixos em relação aos concorrentes, o Free Fire acabou se tornando muito popular entre pessoas que não têm a capacidade de atualizar seus celulares com frequência para modelos mais novos.

Dessa forma, tornou-se um verdadeiro ícone em relação à inclusão digital de pessoas de baixa renda ou em situação de risco. Comprar um videogame ou um PC gamer pode estar fora do alcance desse público, mas um simples celular é o suficiente para se divertirem com Free Fire.

Um grande reflexo disso foi a criação da Taça das Favelas, o maior torneio de Free Fire com jogadores de favelas de todo o mundo. Ele foi criado pela Favela Esporte em parceria com a Central Única das Favelas (CUFA), tornando-se um grande acontecimento em meio à comunidade.

O sucesso da Taça das Favelas foi tão grande que ela virou projeto de inclusão digital com o patrocínio do banco Itaú e da Loud. O objetivo, segundo as empresas, é se aproximar do universo gamer e promover a transformação social por meio da tecnologia e dos e-sports.

Quem são os principais jogadores e criadores de conteúdo sobre Free Fire?

Muito da popularidade de Free Fire se deve a ter vários nomes relevantes criando conteúdo associado a ele. Desde jogadores até streamers, é possível acompanhar as jogadas dessas personalidades usando as redes sociais e plataformas como o Twitch.

A seguir, conheça quais são os maiores nomes entre jogadores e criadores de conteúdo sobre Free Fire.

Nobru

O Nobru faz streams no YouTube em que coleciona capas de adversários, exibe jogadas eletrizantes e grandes momentos em partidas de Free Fire. Ele também faz testes com várias armas e modos para apresentar suas diferenças para o público.

Ele já foi campeão da Pro League e do Mundial de Free Fire representando o manto do Corinthians. Com 19 anos e morador de São Paulo, ele é um dos nomes mais reconhecidos de Free Fire no Brasil.

Play Hard

O Play Hard é um ícone da comunidade Free Fire brasileira, publicando vídeos praticamente todos os dias sobre o assunto. Ou seja, é bastante conteúdo para quem quer respirar Free Fire no dia a dia.

Ele também é o dono da Loud, uma das principais equipes profissionais de Free Fire que é formada quase exclusivamente por streamers. No canal dele, você encontra dicas e truques do Free Fire que valem não só para iniciantes como também para veteranos.

Babi

A Babi é mais uma integrante da Loud, tendo um canal no YouTube repleto de conteúdo para quem gosta de Free Fire. A mineira de Belo Horizonte também é a brasileira mais popular da Twitch, acumulando 1,2 milhão de seguidores.

No conteúdo dela, é possível acompanhar as jogadas de Babi por partidas ranqueadas, grandes manobras conquistadas em situações únicas e, claro, também dá para aprender muito sobre o game vendo ela jogar.

Coringa

Quando se pensa em influenciador de Free Fire, é difícil não pensar no Coringa. Ele faz parte do time Lou e tem um canal no YouTube focado quase que exclusivamente em ensinar quem está começando no game ou quer aprimorar sua técnica para ranquear cada vez melhor.

Dessa forma, quem quer melhorar no game tem a obrigação de acompanhar o conteúdo do Coringa. Ele tem 23 anos e nasceu em Belo Horizonte, Minas Gerais, também trabalhando com conteúdo sobre GTA RP.

Piuzinho

O Piuzinho era um dos principais nomes da produção de conteúdo de Free Fire até anunciar a sua aposentadoria do jogo em 2020. Hoje, ele se dedica a outros games, como GTA V.

Ainda assim, é possível conferir muito do conteúdo altamente divertido que Piuzinho produziu sobre o game. Ele foi um dos primeiros a criar vídeos com foco em comédia e entretenimento relacionado ao jogo, então dá para rir muito enquanto acompanha as partidas.

Quais famosos já marcaram presença no Free Fire?

O Free Fire alcançou um altíssimo nível de relevância em todo o mundo, o que acabou chamando a atenção de grandes nomes de vários segmentos. O resultado disso foi uma série de parcerias com celebridades e personagens icônicos que já estiveram no game e que têm skins destraváveis nas partidas.

Você já viu algum deles? Confira a seguir os famosos que já marcaram presença no Free Fire.

DJ Alok

O DJ brasileiro Alok é um dos principais famosos que associou seu nome ao Free Fire. Ele já era fã do game e foi contatado pela Garena em 2019 para fazer uma participação dentro dele com a sua própria imagem.

Quem destrava a skin do DJ Alok tem a habilidade de criar uma área de 5 metros para restaurar seu HP e dos companheiros de equipe. Essa aura também aumenta a velocidade de movimento. Além disso, o DJ também já realizou shows dentro do game.

Cristiano Ronaldo

O craque português de futebol é outro famoso que já emprestou a sua aparência para uma skin em Free Fire. Isso permite que você adquira a aparência de CR7 e também possa contar com a habilidade única dele durante as partidas.

Ao usar o Cristiano Ronaldo, você pode usar a habilidade Escudo Tunado. Ela consiste em um campo de força que oferece proteção contra os ataques dos inimigos em uma determinada área limitada.

Pamela Rosa

A campeã mundial de skate Pamela Rosa também é fã de games e é viciada em Free Fire. Em várias entrevistas, ela já revelou que adora utilizar o jogo para se distrair entre os treinos, além de revelar que ele também é muito popular entre vários outros skatistas profissionais como ela.

Aliás, durante os primeiros meses da Pandemia de Covid-19, em que a norma era não sair de casa, ela revela que o Free Fire a ajudou a se distrair da impossibilidade de sair para andar de skate. Até hoje, ela é um dos principais famosos brasileiros que são abertamente viciados em Free Fire.

One Punch Man

O protagonista Saitama, de One Punch Man, é um exemplo de personagem que foi incorporado ao Free Fire. Ou seja, os jogadores podem adquirir a skin e disputar as partidas com a aparência dele, que inclui o uniforme amarelo, a capa branca e a icônica careca.

One Punch Man é uma franquia de ação japonesa que é publicada desde 2009. Ela conta a história de Saitama, um super-herói que consegue derrotar qualquer oponente com apenas um soco.

La Casa de Papel

O famoso uniforme vermelho com máscara da série La Casa de Papel estreou no Free Fire em 2020. Essa foi uma ação em conjunto entre a Garena e a Netflix que trouxe os personagens do famoso roubo à Casa da Moeda.

Essa ação chegou até ao mundo real, com uma intervenção artística no Minhocão, em São Paulo. A nova skin foi apresentada pela primeira vez durante a Liga Brasileira de Free Fire.

Quais são os principais campeonatos de Free Fire?

Como um dos principais expoentes dos e-sports em todo o mundo, é natural que o Free Fire tenha dado origem a uma série de campeonatos e torneios. O Brasil, inclusive, organiza vários deles e se posiciona como um dos maiores nomes quando o assunto é exportação de times promissores para colecionarem vitórias lá fora.

A seguir, conheça alguns dos principais campeonatos de Free Fire que existem.

Free Fire World Cup

A Free Fire World Cup, ou Copa do Mundo de Free Fire, foi o primeiro grande torneio de Free Fire organizado pela Garena. Ele aconteceu pela primeira vez em 2019, na Tailândia, entregando um prêmio máximo de US$ 100 mil.

Quem venceu a disputa como melhor jogador da Free Fire World Cup 2019 foi o jogador brasileiro Kkroonos, da Loud. O EVOS Capital, da Indonésia, ficou com o primeiro prêmio do pódio.

National Free Fire Association League

A NFA (National Free Fire Association League) é considerada o mais importante campeonato independente de Free Fire do mundo. Ela permite a disputa tanto por celulares quanto via PCs com emuladores, além de se desenvolver mais com cada edição.

Aliás, o uso de emuladores causou polêmica na edição de 2020 devido ao banimento de jogadores pelo sistema anti-cheat do Free Fire. Segundo os organizadores, a edição de 2021 contará com um monitoramento mais sofisticado que evitará esse problema.

Liga Brasileira de Free Fire

Também conhecida pela sigla LBFF, a Liga Brasileira de Free Fire é o principal torneio de Free Fire que acontece no Brasil. É o que reúne as maiores equipes do território nacional, como Loud, Corinthians, FURIA, paiN Gaming, entre vários outros.

A Liga tem três divisões, com uma Série A composta por 18 equipes. Já a Série B da LBFF tem 36 times em três grupos de 12. As partidas acontecem de forma online para respeitar a norma de distanciamento social da Pandemia de Covid-19.

Free Fire India Championship

A Índia é um dos países que mais jogam Free Fire no mundo, então não é nada surpreendente que ela conte com um torneio do game para chamar de seu.

O Free Fire India Championship é organizado pela Garena e reúne os principais nomes do país e também do Nepal de forma online para acessar cerca de US$ 50 mil em prêmios.

Alok GameChanger

O DJ Alok gosta tanto de Free Fire que criou até um torneio para chamar de seu. O Alok GameChanger tem grandes patrocinadores como o Itaú e Trident, trazendo as principais equipes da modalidade para disputarem seu principal prêmio.

Um dos diferenciais do Alok GameChanger é que ele é 100% gratuito. As vagas são abertas para times da comunidade, contando com cotas para equipes compostas por mulheres e times indígenas. O único requisito é ter pelo menos 14 anos para se inscrever.

O futuro do Free Fire: chegou o Free Fire Max!

Para quem achou que a história do Free Fire estava acabando com todo esse sucesso, isso é um engano. O futuro está mais do que consolidado para o game, que acabou de lançar uma versão remodelada com foco em qualidade gráfica e performance: o Free Fire Max.

O Free Fire Max foi lançado oficialmente em setembro de 2021, depois de um longo período de beta aberto em que os jogadores puderam testar vários de seus recursos. A principal mudança é que essa versão é focada em visuais sofisticados e belos efeitos.

Vale lembrar que o Free Fire original tem como diferencial ser bastante simples graficamente, o que permite ser jogado em praticamente qualquer celular mais fraco. No entanto, o Free Fire Max é lançado com a proposta de permitir usar ao máximo os recursos gráficos dos aparelhos mais modernos.

Apesar da mudança visual, o resto do jogo permanece igual. Aliás, quem quiser pode alternar entre os dois sem perder progresso já que a Garena permite usar seu login em ambos de maneira sincronizada. Trata-se da tecnologia Firelink que já está funcionando com o lançamento do Free Fire Max.

Requisitos mínimos

Estes são os requisitos mínimos para jogar Free Fire Max no Android:

  • Sistema Android 4.4 ou superior

  • CPU Dual Core 1,2 GHz

  • 2 GB de RAM

  • Pelo menos 2,5 GB de armazenamento disponível

Já no iOS, estes são os atributos básicos para jogar Free Fire Max:

  • Sistema iOS 11 ou superior

  • CPU acima ou igual ao do iPhone 6s

  • 4 GB de RAM

  • Pelo menos 3 GB de armazenamento disponível

Requisitos recomendados

Veja abaixo quais são as configurações recomendadas para o Android:

  • Sistema Android 7 ou superior

  • CPU Octa Core 2,0 GHz

  • 4 GB de RAM

  • Pelo menos 4 GB de armazenamento disponível

Estas são as configurações recomendadas para iOS:

  • Sistema iOS 11 ou superior

  • CPU acima ou igual ao do iPhone 7

  • 4 GB de RAM

  • Pelo menos 4 GB de armazenamento disponível

Como você viu, o Free Fire é um dos principais nomes em todo o mundo quando o assunto é battle royale mobile. A disputa por ser o melhor entre outros vários jogadores em um espaço cada vez menor fica ainda mais emocionante quando travada pelo celular, com a maior acessibilidade possível. Então, é só seguir acompanhando os torneios e seus criadores de conteúdo a cada disputa.

Para aproveitar ao máximo as possibilidades do Free Fire, você precisa de um sistema de pagamentos confiável. Conheça as soluções da LATAM GATEWAY para adquirir seus Dimas para mandar bem nas partidas de Free Fire!

Subscribe to our Newsletter and receive exclusive content!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

CONTACT