Com dinamismo e um alto nível de crescimento, mercado de e-sports tem atraído investimentos de grandes marcas gerando receitas bilionárias.

E-sports devem movimentar U$ 180 bi em 2021

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Subscribe to our Newsletter and receive exclusive content!

Mercado global de e-sports deve gerar algo em torno dos US$ 180 bilhões em receita em 2021

Foi-se o tempo em que os e-sports eram apenas diversão. Bom, ainda são,  mas é um entretenimento que movimenta um mercado bilionário, atrai investimentos pesados e conquista cada vez mais pessoas interessadas em se profissionalizar.

De acordo com um levantamento feito pela Newzoo, as estimativas apontam que o mercado global de e-sports deve gerar algo em torno dos US$ 180 bilhões em receita em 2021. Até o ano de 2023, a empresa projeta que o setor conseguirá ultrapassar a barreira dos US$ 200 bilhões em receita.

Uma das principais razões para saltos de crescimento tão grandes é que esse mercado passa por constantes evoluções, além disso, o dinamismo é muito forte devido ao uso de diversas plataformas digitais e ao cenário fragmentando, fatores que abrem espaço para muito mais crescimento, além de possibilitar uma infinidade de oportunidades de monetização.

Quer saber qual será o futuro? Continue a leitura e saiba mais!

Crescimento e investimentos no setor

A maior fatia das receitas têm origem em publicidade e patrocínios. Nesse cenário, os maiores mercados de e-sports são compostos pela Ásia e pela América do Norte. O país asiático é responsável por um quinto do segmento e, em breve, pode se tornar dominante em várias frentes.

A maior fatia das receitas têm origem em publicidade e patrocínios

Um exemplo de investimentos feitos pelos chineses é a cidade de Hangzhou que tem um plano para a construção de 14 instalações de e-sports até 2022. Um investimento que ultrapassa os 2 bilhões de dólares e que pode tornar a cidade a capital mundial do esporte.

Sobre as plataformas mais usadas, a Streamlabs aponta que o YouTube e o Twitch ocupam a liderança de streamers ativos. Além disso, à medida que a quantidade deles não para de aumentar, a publicidade também deverá crescer, gerando ainda mais receita para essa indústria.

E-sports e o mercado nacional

Por aqui, o destaque fica com a Liga NFA (National Free Fire Association), um exemplo de como patrocinadores estão de olho no setor. Em 2020, a NFA se consagrou como o maior campeonato independente de Free Fire, não apenas do Brasil, mas do mundo. Conquista que abriu os olhos de muitas empresas para investimentos no mercado nacional.

O destaque fica com a Liga NFA (National Free Fire Association), um exemplo de como patrocinadores estão de olho no setor

Aliás, por falar no mercado nacional, ele já ocupa a 3° posição  em nível mundial. Internamente, a audiência dos jogos eletrônicos chega a ser maior que a de esportes tradicionais. Além do público, jogos mais acessíveis e a possibilidade de equipes próprias também são responsáveis por conquistar investimentos.

Como apontamos, tamanha visibilidade desperta interesses de várias empresas, sendo que muitas não tem nenhuma relação com o mundo dos games. Marcas como Intel, Arby’s, Coca-Cola e Redbull estão investindo pesado no público de e-sports nos últimos anos, já de olho no poder de compra significativo que ele tem. Isso sem contar astros do basquete e da música, assim como do cinema, que perceberam isso há muito tempo.

No mais, outro fator que tem contribuído para atrair investimentos é que a publicidade em plataformas de e-sports ainda é mais barata quando comparada com esportes tradicionais.

Futuro promissor

Grandes marcas já perceberam que os e-sports são um caminho sem volta. Ou melhor, que esse mercado está em sua fase inicial e, portanto, quanto mais cedo começarem a participar dele, melhores serão as chances de lucros.

Dessa maneira, organização de ligas, patrocínio de campeonatos, parcerias e fusões, são apenas algumas iniciativas visadas por investidores que não querem perder as chances de gerar receitas oferecidas no setor.

Afinal, ao que tudo indicada, os e-sports irão rivalizar com as maiores ligas tradicionais no quesito de geração de oportunidades de negócios. Entre merchandising, patrocínios, licenciamentos, venda de ingressos e publicidade, ainda há muito espaço para ser explorado.

Então, caro leitor! O que acha das perspectivas de crescimento dos e-sports? Deixe sua opinião em nossos comentários.

Subscribe to our Newsletter and receive exclusive content!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

CONTACT